MULHERES CRIADORAS – Entrevista Jackeline Salomão, Nina Dutra e Mariana Zatz
dezembro 14, 2016
Artistas que você TEM que conhecer: Márcia X
dezembro 14, 2016
Ver tudo

Mulheres que revolucionaram a história

São muitos os nomes das grandes mulheres que revolucionaram a história e estiveram à frente do seu tempo, seja por meio de suas atuações ou de seus posicionamentos políticos. Elas participaram da história de modo ativo, não apenas questionando ou inovando com seus pensamentos e atitudes, mas também buscando fortalecer e desassociar a imagem da mulher unicamente como um anexo à figura masculina.

Governantes, artistas, escritoras, pensadoras; essas mulheres não apenas enfrentaram e combateram os preconceitos de sua época na luta pelos direitos das mulheres, mas também superaram muitas barreiras e obstáculos para que as mulheres de hoje pudessem compartilhar as suas visões, opiniões e o que acreditam que ainda necessita ser mudado. Entre essas tantas revolucionárias estão:

Cleópatra

Uma das mulheres mais conhecidas da história mundial por ter se tornado a rainha do Egito. Nunca foi detentora única do poder, na verdade ela co-governou sempre com um homem. Porém, todos eles eram apenas reis titularmente, mantendo-a como a única autoridade de fato. Cleópatra não era apenas uma mulher fútil ou famosa entre os homens, como muitos acreditam; ela foi uma grande negociante, estrategista militar, poliglota e conhecedora de filosofia, ciências, literatura e artes gregas.

Virginia Woolf

Virginia representava um papel extremamente significativo dentro da sociedade literária londrina. Estreou na literatura em 1915, fez parte do grupo de Bloomsbury, no qual intelectuais questionavam as tradições literárias, políticas e sociais da época. Os objetivos desses pensadores eram a liberdade de expressão e o respeito à individualidade. Virginia Woolf representou os anseios por mudança e igualdade entre os sexos, expressando sua luta e seu discurso por meio de suas obras. Foi reconhecida também como autora de diversos livros feministas. Em uma de suas mais importantes obras, “Um Teto Todo Seu”, encontra-se a famosa citação “Uma mulher deve ter dinheiro e um teto todo seu se ela quiser escrever ficção”.

Coco Chanel

Gabrielle “Coco” Chanel se consagrou nos anos 1920 e foi a responsável por libertar a mulher dos trajes desconfortáveis e rígidos do final do século 19, nos livrando dos espartilhos e das roupas apertadas e estabelecendo o conceito da roupa feminina funcional. Além de dar à mulher um novo look, ela criou a imagem da nova mulher do último século: forte, independente, bem-sucedida, com personalidade e estilo, não apenas refém da aprovação ou dos olhares masculinos. Conhecida como Coco Chanel, ela também foi uma das primeiras mulheres a aderirem ao estilo boyish, com roupas largas e algumas peças masculinas.

Simone De Beauvoir

Embora não se considerasse uma filósofa, De Beauvoir teve uma influência extremamente significativa tanto no existencialismo feminista quanto na teoria feminista na década de 1940. Uma de suas grandes obras, o livro “O Segundo Sexo” criou as bases do feminismo. Nessa obra encontra-se a forma como as tradições políticas e sociais justificam o patriarcado e a opressão masculina, os programas para a liberação feminina, o questionamento da instituição do casamento e a liberdade sexual. Além disso, a própria vida de Simone, que representava o anseio por liberdade, inspirou milhares de mulheres pelo mundo.

Angela Davis

Professora e filósofa socialista, foi uma das mais importantes combatentes da discriminação social e racial durante a década de 1970. Angela nasceu no estado do Alabama, um dos mais racistas do sul dos Estados Unidos, e desde cedo conviveu com humilhações em sua cidade devido ao preconceito racial que sofria. Angela começou a sua militância política quando ainda era uma estudante universitária. Em 1970, se tornou integrante do “Panteras Negras”, grupo político e social de combate ao racismo.

Esses são apenas alguns dos nomes que marcaram a história e que lutaram contra a opressão exercida sobre as mulheres e pela liberdade e igualdade entre os gêneros. Muitos outros nomes fazem parte dessa lista, como Joana D’arc, Rainha Elizabeth, Betty Friedan e Frida Kahlo.

Debora Delta
Debora Delta
Sou atriz, apresentadora e escritora. Em meu blog “Muito Além Do Óbvio” para a Revista Obvious escrevo entre outros temas, sobre o papel da mulher e sua importância na sociedade. No meu canal no Youtube “Flamingas”, debatemos sobre questões feministas. Discutir sobre a representatividade das mulheres na arte é algo empoderador em diversos sentidos, acredito que a partir da história de mulheres artistas podemos resignificar o nosso lugar no mundo, por isso é um prazer poder colaborar para o Las Abuelitas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *