Manifesto Mulheres Contra a Cultura do Estupro

Divulgue seu trabalho – Priscila Pasko – Escritora
junho 6, 2016
Divulgue seu trabalho – Ligia Savio – Poeta
junho 14, 2016
Ver tudo

O coletivo Mulheres no Audiovisual  PE lançou este Manifesto Contra a Cultura do Estupro. A criação e direção ficou com a artista Bárbara Cunha e o roteiro com Mila Coutelo.

O vídeo foi produzido em Recife, durante a Marcha das Vadias, 2016.

O Las Abuelitas apoia a manifestação artística das mulheres e o fim da cultura do estupro, e acredita que um dos caminhos para isso é fomentar e empoderar a produção cultural das mulheres.

Manifesto Mulheres Contra a Cultura do Estupro

Eu fui assediada
De novo
Todo dia
Toda hora
Hoje

A cada 11 minutos
Uma de nós

Em casa
No ônibus, metrô
Na escola, faculdade
Na praia, na rua
Na venda, na cantina
Na academia, no trabalho
Na festa, no bar

Eu fui assediada
De novo

A cada 11 minutos
Uma de nós

Shortinho, saia, biquini
Calça jeans, moletom
Burca
Nua

Em todo lugar
Todo dia
Toda hora
De novo
Hoje

A cada 11 minutos
Uma de nós

Eu fui estuprada
Sem entender
Sem saber
Com violência
Com medo
Desacordada

A cada 11 minutos
Uma de nós

Minha irmã
Minha sobrinha
Minha filha
Minha mãe
Eu
Você

A cada 11 minutos
Uma de nós
Não era um monstro
Era um
Dois
Três
Trinta e três homens

Dúvida
Piadas
Culpa
Olhares
Força
Assédio
Omissão
Silêncio

Não era um monstro
Era um homem
Igual a você.

Hoje eu morri mais um pouco
Eu fui assediada
Eu fui estuprada
Morta.
Hoje
De novo.

A cada 11 minutos
Uma de nó

 

Priscilla Leal
Priscilla Leal
Sou atriz, advogada e gestora cultural. Reuni as três atividades neste espaço virtual, para criar um lugar de divulgação e compartilhamento de trabalho das mulheres artistas. Acredito na importância deste espaço para destacar essas mulheres e sua relação com a arte. Também acredito na profissionalização da(o) artista e da(o) produtor(a) cultural, por isso convidei mulheres de diversas áreas para escreverem para nós. Idealizei e executei o seminário “Mulheres Artistas na Ditadura”, na Caixa Cultural São Paulo, em 2014.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *