Como escrever um projeto cultural para edital público?

O caso das Biografias – traduzindo o juridiques!
junho 13, 2015
Quer me ajudar a fazer o conteúdo do LAS ABUELITAS?
junho 18, 2015
Ver tudo

Como escrever um projeto cultural para edital público?


colored-pencils-374146_1280 Basicamente existem duas formas de apoio a um projeto cultural: privado ou público. No âmbito privado pode ser via leis de incentivo, como a conhecida Lei Rouanet ou por contratação direta das empresas e no âmbito público, pelos editais públicos.

Temos editais federais, estaduais e municipais. O primeiro é de competência do Ministério da Cultura, o MINC, ou da Funarte, no âmbito estadual a competência é da Secretaria de Cultura do Estado e no municipal da Secretaria Municipal de Cultura.

Aproveitando que neste mês alguns editais foram publicados pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, vou utilizar como base o edital n.º 03/2015 “Concurso de apoio a projetos de primeiras obras de produção de espetáculo e temporada de teatro no Estado de São Paulo”.

Como começar?

Em primeiro lugar temos que ler o edital. Sei que parece óbvio, mas quando você pega o documento de aproximadamente 25 folhas, dá uma preguiça de ler inteiro. Ai você vai lendo aos pedacinhos! O problema de usar essa técnica é que fica mais difícil para você se organizar. E para que se organizar? Porque escrever um projeto dá trabalho! E para o “barato não sair caro”, eu sugiro que você leia o edital inteiro e já vá separando o que você terá que fazer por tópicos.

1º Passo – A leitura

Ao começar a ler o edital tenha uma caneta ou um pedaço de papel junto com você. Não tenha dó de grifar o edital.  Onde apareceram dúvidas? Você tem algum impedimento que não te permite concorrer ao edital? Exemplo: o edital exige comprovação de dois anos de residência no Estado, e você não tem. É possível resolver esse problema?

É nesse primeiro passo que você vai descobrir se o seu projeto se encaixa no edital que você quer concorrer. Se o seu projeto é de dança não tem como concorrer em um edital de primeiras obras de produção de espetáculo. Porque não? Logo no começo do edital ele especifica o objeto que neste caso é de espetáculo e temporada de espetáculo teatral.

Também é definido logo no começo do edital o que se entende por “primeiras obras”, “artistas”, “produção de espetáculo”, etc. É nessa etapa que você vai verificar se seu projeto e você se enquadram nesse edital.

2º Passo – O Esboço

Ok, você tem um projeto que se enquadra nesse edital. Reúne também todas as condições de habilitação. Lembrando que isso você descobriu porque leu o edital de “cabo a rabo”. Agora você pode começar a esboçar o projeto dentro do que o edital pede.

E o que ele pede? Aqui em São Paulo, é a primeira vez que o projeto será encaminhado virtualmente. Então, o edital pede que o texto seja feito em uma fonte específica. Observe que o edital estipula número de páginas e linhas para a apresentação de currículos. O melhor a se fazer é respeitar o exigido. Todo projeto cultural vai ter como esqueleto basicamente:

Apresentação;

Objetivo;

Justificativa;

Público – Alvo;

Local de realização;

Ficha Técnica;

Cronograma;

Orçamento;

Plano de Comunicação.

Esse edital em particular está bem exemplificado, pois especifica o que quer dizer cada item. O projeto pede também contrapartida e esclarece o que é. Aqui merece uma nota: geralmente quando se fala em contrapartida, principalmente no teatro, pensamos logo em oficinas ou palestras, mas o edital está pedindo ACESSO.

Opa, o que isso quer dizer?

A Secretaria quer saber como você vai chamar o público para ver sua peça. Vai ter algum plano de acessibilidade para deficientes visuais ou físicos? O seu plano de comunicação vai direto ao seu público alvo? As oficinas e palestras podem ser um plus no seu projeto, mas não é isso que o edital está pedindo. Fique atenta! Aproveito para compartilhar um site que gosto muito: “Guia de Acessibilidade Cultural do Instituto Mara Gabrielli”.

Outra coisa que eu acho interessante fazer é escrever o projeto na ordem em que são pedidos os itens no edital. O nosso edital de exemplo segue esta ordem:

Ficha de Inscrição (preenchida no site);

Quem é o proponente, ou seja, quem está propondo o projeto e será responsável por ele junto à Secretaria e a equipe envolvida, quem participa do projeto;

Objetivo do projeto – o que você pretende realizando esse projeto? Aonde você quer chegar com ele.

Justificativa – Porque é importante fazer esse projeto?

Onde será realizado o projeto – Cidade e local, se fosse um edital federal, você colocaria o Estado também.

O que será realizado – aqui cabe a apresentação do projeto. Cuidado para não justificar aqui o projeto. Você não vai escrever o motivo que ele deve ser contemplado e sim do que se trata o projeto. Esse edital especificamente pede para juntar nesse campo a sinopse do espetáculo, a proposta de dramaturgia e encenação e a concepção de cenário, figurino e música, se já estiverem prontas na data da inscrição. Uma nota importante: proposta de dramaturgia não é o texto pronto e sim a ideia, a proposta que se pretende desenvolver. Mas se você já tiver o texto pronto, também pode juntar.

Público- Alvo: você pode pensar “mas meu espetáculo é para as pessoas de 1 a 99 anos”. Não, não entra nessa! Seu espetáculo vai ter um público alvo, um público para quem você vai pensar a sua comunicação. É para adolescentes? Mulheres? Executivos? Enfim, você tem que analisar o seu projeto e concluir qual é o público que vai se identificar com ele, para elaborar seu plano de comunicação.

O plano de comunicação é o local no qual você vai citar as ações que irá utilizar para divulgar o seu projeto. Em quais mídias você irá divulga-lo? Internet, revista, jornal? Se você definiu que seu público alvo é adolescente, você não vai divulgar na Revista Veja, certo? Talvez a melhor saída seja dar ênfase nas mídias sociais. E por aí vai…

Cronograma – quando e como você vai se organizar para realizar o projeto. Não adianta colocar um milhão de atividades e dois meses para fazer o projeto. É necessário que exista relação entre o tempo de trabalho e o que está se propondo. Só assim a banca vai acreditar que você tem condições de realizar esse projeto, e que você tem noção do como fazê-lo. Você pode dividir em pré-produção, produção e pós-produção. A pré-produção envolve tudo o que acontecer antes do espetáculo (ex.: ensaios, figurino, cenário, a preparação da comunicação, assinatura de contrato, aluguel de espaço), a produção é o espetáculo em si e todas as ações que acontecem concomitantemente (ex.: divulgação, transporte de equipe, iluminador, técnico de som) e a pós-produção é o que acontece depois (ex.: clipagem, prestação de contas).

IMPORTANTE: você tem que ver qual o prazo que o edital dá para cumprir o projeto. Se constar dez meses não adianta você fazer um cronograma de 12 meses. Aliás, no cronograma o melhor é dividir por mês um, mês dois e não especificar o mês (dezembro, janeiro, etc.).

Orçamento: é a famosa e temida planilha. Você tem que prever e orçar seus gastos. Claro que se você ganhar o edital e precisar remanejar verba você pode, dsde que observando as regras para tal. Aqui eu sugiro que você liste tudo o que seu espetáculo vai demandar e a equipe que você vai precisar, até para ver se os gastos estão dentro do prêmio do edital. Caso o projeto apresente um orçamento maior do que o prêmio, o edital dá a possibilidade de fazer parcerias para cobrir esses gastos, mas observe que você já tem que apresentar essas parcerias na inscrição. Sugiro que você tenha uma carta de interesse para anexar ao projeto.

Contrapartida: já falamos um pouco sobre este item lá no começo do artigo.

Anexos: Na parte de informações adicionais sugiro que você anexe o que realmente é importante o examinador saber. Como cartas de parceria, carta de participação no projeto, se você tiver alguma reportagem ou matéria para ilustrar a justificativa do projeto, etc. E olha só: se o seu trabalho for publicação de trabalho de terceiros, tem que juntar a cessão de direitos. Não entendo porque foi utilizado o termo publicação, como você sabe se você usar uma tradução ou uma obra na íntegra, sem estar no domínio público, terá que ter a autorização também.

3º Passo – A equipe

team-386673_1280 Uau o esboço ficou grande hein? Mas tenho certeza que agora você tem clareza do seu projeto e do como inscreve-lo no edital. Sabendo como será seu projeto você vai convidar as pessoas que faltam para montar sua equipe. Você quer ter uma luz especial em cena? Que iluminador você vai convidar? Ao fazer os convites, você já conversa e negocia os cachês com os profissionais. Aliás, nessa etapa é hora de mandar emails e fazer ligações para saber os preços dos serviços e produtos que irá uti9lizar. Lógico que os preços mudam, então é bacana jogar o valor um pouco acima do que foi passado, mas não exagere na tal “gordura” senão seu projeto sai super caro e você não vai conseguir explicar o motivo para a comissão.

4º Passo – A documentação

Como você leu o edital antes já sabe o que estão exigindo de documentação e já sabe se tem ou não. Por isso deixei essa etapa por último, mas nada impede que logo no começo você já separe o que estão pedindo para a inscrição.

DICA: Deixe a linguagem poética para os anexos. No projeto, tente ser objetiva e clara. Imagina que a banca examinadora recebe muitos projetos! E principalmente: atenção aos erros de português.

Com este esquema você vai conseguir se organizar quando for inscrever um projeto cultural em edital público.

É importante ter em mente que não existe certeza ao inscrever um projeto. Não depende só do que você apresenta, mas da comissão examinadora. Então, não desista no primeiro. Escreva, inscreva e vá se aperfeiçoando. Lembrando que existem outras formas de financiar o seu projeto.

Em breve trago mais dicas sobre isso!

Até mais!

Priscilla Leal

_MG_0162Sou atriz, advogada e gestora cultural. Reuni as três atividades neste espaço virtual, para criar um lugar de divulgação e compartilhamento de trabalho das mulheres artistas. Acredito na importância deste espaço para destacar essas mulheres e sua  relação com a arte. Também acredito na profissionalização da(o) artista e da(o)  produtor(a) cultural, por isso trago no blog informações jurídicas, que estão  envolvidas na atividade artística, além de informações de produção e gestão cultural.  Idealizei e  executei o seminário “Mulheres Artistas na Ditadura”, na Caixa Cultural São Paulo, em 2014.

9 Comments

  1. […] escrevi no post “Como escrever um projeto cultural para edital público?” , é essencial ler o edital e se atentar aos critérios que ali estão, pois são eles que serão […]

  2. Will disse:

    Muito bom. Quero sim continuar recebendo.

    • Las Abuelitas disse:

      Oi Will! Você pode colocar seu email, no campo a direita na página principal. Curta nossa página no face também! Muito bom te ver aqui! Bjs, Priscilla

  3. REULY SILVA FERREIRA disse:

    excelente dica. Parabéns!

  4. samuel disse:

    Parabéns,agora sei por onde começar!! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *