Artistas que você TEM que conhecer: Beth Moysés

Espetáculo de dança “Nós S/A” propõe reflexão sobre a especulação imobiliária
março 15, 2017
A famosa paleta de cores
março 17, 2017
Ver tudo

Artistas que você TEM que conhecer: Beth Moysés

Beth Moysés é uma artista plástica brasileira. Dedicou-se à pintura até 1993, tendo, no ano seguinte, abandonado a pintura para dedicar-se ao uso e à experimentação de materiais que se relacionam com o afeto, apropriando-se do vestido de noiva como símbolo da fantasia da mulher.

A artista une o trabalho artístico com o questionamento que sempre teve acerca da desigualdade de gênero. Em entrevista para a revista Performatus, ela conta o que a levou a esta arte:

“Em primeiro lugar, a vivência que eu tive do feminino e do masculino na relação do casamento. Na família que me trouxe à vida eu notava, desde pequena, entre o meu pai e a minha mãe, as dificuldades de relacionamento. Eu achava tudo muito injusto na relação entre homem e mulher. Por que o homem pode tanto e a mulher pode tão pouco? Uma série de diferenças que me incomodavam. Isso desde muito nova. Paralelamente, sempre gostei muito de arte. Nunca imaginei que eu iria juntar um dia a arte com todo esse questionamento que existia dentro de mim.

Como narra Katia Canton, “o mito feminino sempre permeou o trabalho de Beth Moysés”. Isso porque a artista utiliza materiais que remetem ao mundo feminino, como dedais e vestido de noiva, para realizar sua obra e sua crítica. E faz isso por meio de diversas plataformas, como instalações, mídias, performances, fotografias e desenhos.

Bety Moysés Dedal 1 – Série ” Aún sangran los dedales”, Metacrilato, 40 x 40 cm, 2013, Edição 1/2.

Eu conheci o trabalho da Beth Moysés quando li sobre uma performance, na qual 150 mulheres faziam um cortejo, vestidas de noiva, despetalando rosas brancas. Ao final do caminho, elas enterravam os espinhos. Após ler a respeito, fui a uma palestra da artista e fiquei encantada.

Atenção: isto não é um casamento. Não vai haver marcha nupcial nem noivo. Só 150 vestidos de noiva andando junto com o mesmo número de mulheres pela Avenida Paulista.
Trata-se de uma performance que Beth Moysés concebeu para a tarde deste sábado. ‘É como uma passeata de formigas brancas’, brinca a artista. ‘Sabe quando você coloca o dedo na frente da fila de formigas e elas embolam? Vamos fazer isso a cada farol.’
A opção de parar nos faróis foi tomada para não infringir nenhuma lei, reforçando o caráter pacifista da performance, que acontece no Dia Internacional da Não Violência Contra a Mulher. Cada uma vai carregar um buquê de rosas, que irá ser despetalado em silêncio, deixando um rastro de pétalas brancas na avenida.”

Na linguagem fotográfica, um trabalho que acho lindo e político é o “Desbordando Corpos”.

A foto “Reconstruindo Sonhos”, para mim, é o ápice da exposição.

Beth Moysés – Reconstruindo Sonhos,Lambda sobre dibond, 87 x 118 cm, 2005, Edição 5/5.

Beth Moysés é uma artista atual, envolvida com a igualdade gênero, que une arte e política. Seus trabalhos são poéticos e lúdicos e, ao mesmo tempo, fortes e diretos.

Sem dúvida, uma inspiração.

Beth-Moyses-Mosaico-branco-por-60-mulheres-Photograph-1-Ed.-1-of-5-55-cm-x-80-cm-Sao-Paolo-2001.

BethMoyses-Trans-bordando

Priscilla Leal
Priscilla Leal
Sou atriz, advogada e gestora cultural. Reuni as três atividades neste espaço virtual, para criar um lugar de divulgação e compartilhamento de trabalho das mulheres artistas. Acredito na importância deste espaço para destacar essas mulheres e sua relação com a arte. Também acredito na profissionalização da(o) artista e da(o) produtor(a) cultural, por isso convidei mulheres de diversas áreas para escreverem para nós. Idealizei e executei o seminário “Mulheres Artistas na Ditadura”, na Caixa Cultural São Paulo, em 2014.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *