Alice Munro – Ódio, amizade, namoro, amor, casamento

CLARISSA PINKOLA ESTÉS E VIRGINIA WOOLF: A CRIATIVIDADE DA MULHER
janeiro 10, 2017
A violência nossa de cada dia
janeiro 10, 2017
Ver tudo

Alice Munro – Ódio, amizade, namoro, amor, casamento

Alice Munro foi a primeira contista a ganhar um prêmio Nobel de literatura, conseguiu isso em 2013. Ódio, amizade, namoro, amor, casamento é o primeiro livro que leio dessa escritora canadense que é constantemente comparada a Tchekhov. Todos os livros dela são de contos, Alice é uma mestra em colocar em poucas páginas o que muitos colocariam em um romance gigantesco.JUNE 25, 2009 FILE PHOTO. FILE - This June 25, 2009 file photo shows Canadian Author Alice Munro at a press conference at Trinity College, Dublin, Ireland. Munro has won the 2013 Nobel Prize in literature Thursday Oct. 10, 2013. (AP Photo/Peter Morrison, file)

 

Nesse livro há nove contos, e os assuntos abordados são sempre histórias comuns que dão uma guinada com algo inesperado. É o cotidiano que se transforma ora pelas escolhas, ora pela força do acaso. Alice fala sobre o que todos nós vivemos, mas quase nenhum de nós consegue descrever, ou expressar.

O conto que inicia o livro é justamente “Ódio, amizade, namoro, amor, casamento”, uma história bem interessante em que a vida da personagem principal muda drasticamente por causa de uma brincadeira de duas meninas que não pensam nas consequências dos próprios atos. Sabe quando a vida nem sempre segue aquilo que esperamos ou planejamos dela? É sobre isso essa narração, que nos faz questionar sobre os acasos das nossas experiências. Esse conto deu origem ao filme “Amores inversos”. Para finalizar o livro, temos o tortuoso e delicado “O urso atravessou a montanha”, narrado por um homem que vê sua mulher ser acometida pela falta de memória (possivelmente Alzheimer) e os laços que ela vai criando com outro idoso do asilo. Esse conto traz boas reflexões sobre a velhice e sobre o amor conjugal. Outra história que também foi adaptada para o cinema, com o excelente filme “Longe dela”. Uma boa pedida é ler os contos e depois dar uma verificada nos filmes.E não podemos nos esquecer do recente “Julieta”, do diretor Pedro Almodóvar, cujo roteiro foi baseado nos contos “Ocasião”, “Daqui a Pouco” e “Silêncio”, que figuram no livro “Fugitiva”, publicado aqui pela Biblioteca Azul, selo da Editora Globo.

Um dos contos que mais gostei foi sem dúvida “Urtigas”, que fala do reencontro do primeiro amor (aquele lá da infância mesmo), com todas as lembranças e saudades de algo que pareceu ter sido tão importante e forte. É um conto bem triste e muito próximo da realidade dos relacionamentos, em que muitas coisas só são valiosas para apenas uma das partes.

No decorrer das 450 páginas, você se deparará com dramas, comédias, histórias doces e assuntos amargos. Histórias bem sintetizadas e narradas com maestria, em que os personagens são bem construídos e por muitas vezes mais importantes que os próprios acontecimentos. O que aproxima os contos do leitor é exatamente a simplicidade de coisas que podem ocorrer a qualquer um de nós.

 

 

Juliana Lacerda
Juliana Lacerda
Estudante da área de tecnologia, superando a crise dos 30 e sempre correndo atrás dos sonhos. Apaixonada por livros, músicas, filmes, viagens e sensações. Acho que a vida vale muito mais a pena quando conseguimos seguir todas as direções que nosso coração aponta. É editora do site www.sembussola.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *