Ideias para organizar o espaço das crianças
março 17, 2016
Divulgue seu trabalho! Designer Marianna Piacesi
março 17, 2016
Ver tudo

A vida por um dente – o Olmo e a Gaivota

207386

Na sala escura do cinema, passei grande parte da exibição impactada pelas duras mudanças na vida de Olívia, dividi com ela o pesar dos planos desfeitos e cultivei certa repulsa pela liberdade que restou ao seu companheiro, Serge.

De toda narrativa, que é muito forte e bem conduzida, a fala de Olivia – que nomeia este texto – é a que me acompanha desde o dia em que saí da sessão. A mulher vigorosa dá vida à barriga e, junto com este deslocamento, vão se o afeto e a individualidade. Este conflito está presente desde o título do filme: raiz (Olmo, nome de uma espécie de árvore) que não foi planejada versus liberdade (Gaivota) desfrutada pela vida de artista. A partir dessa insatisfação, sentimos o corpo como um lugar instável, permeável, normalizável, e esta transformação acontece em nome da preciosa vida humana.

Muitos pensamentos sobre a vida do corpo e o corpo sem órgãos – atravessado e moldado pelas forças externas – são aflorados por este singular documentário. Como aponta o filósofo Henri Bergson, a vida não procede por associação e adição de elementos, mas por dissociação e desdobramento.

A diretora Petra Costa, reconhecida pelo aprofundamento psicológico de suas personagens, trata como ponto central o dilema da gravidez em que a mulher, no período de nove meses, torna-se um sujeito com novo papel social.

Assistimos à vida humana, rica e complexa, reduzida a uma sobrevivência biológica e minuciosamente vigiada. E é assim que nossa vida biológica se torna, mais e mais, uma competição pelo poder que funciona através das instituições, das informações, das indústrias.

Sobre o filme

Direção e roteiro por Petra Costa e Lea Glob

Gênero: Documentário

Duração: 87 minutos

Ano: 2015

Elenco: Barbara Gassier, Camille Grandville, Célia Catalifo, Christian Dibie, Elena Bellei, Marie Constant, Marjolaine Larrañaga-Avila, Martial Jacques, Olivia Corsini, Pancho Garcia Aguirre, Philippe Duquesne, Sébastien Brottet-Michel, Serge Nicolai, Shaghayegh Beheshti, Sylvain Jailloux

Yammaris Oliveira – Formada em Cinema pela Universidade Federal de Juiz de Fora e Colaboradora do Las Abuelitas

Priscilla Leal
Priscilla Leal
Sou atriz, advogada e gestora cultural. Reuni as três atividades neste espaço virtual, para criar um lugar de divulgação e compartilhamento de trabalho das mulheres artistas. Acredito na importância deste espaço para destacar essas mulheres e sua relação com a arte. Também acredito na profissionalização da(o) artista e da(o) produtor(a) cultural, por isso convidei mulheres de diversas áreas para escreverem para nós. Idealizei e executei o seminário “Mulheres Artistas na Ditadura”, na Caixa Cultural São Paulo, em 2014.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *