Artistas que você TEM que conhecer: Beth Moysés
março 17, 2017
Representividade e lugar de fala
março 24, 2017
Ver tudo

A famosa paleta de cores

Escolher a paleta de cores ideal para cada ambiente, ou para a casa toda, pode tornar uma decoração mais harmoniosa, mas também pode parecer uma tarefa injusta à primeira vista, pois a variedade de tons disponíveis no mercado é abundante, então ficamos com aquela sensação de desperdício, já que há tantas cores fantásticas. Daí é que pode surgir a pergunta: mas eu realmente preciso escolher uma paleta e segui-la? A resposta é não. O seu lar deve ter a sua cara, ser do seu jeitinho. O que quero com este texto é mostrar para você que podemos seguir algumas regras ao definir uma paleta na decoração da sua casa ou mesmo adequá-la dentro da sua misturinha. O caos de alguma forma pode ser harmônico. Somos diferentes e podemos escolher o que queremos.

Há pessoas que estudam cores, SIM, e muitas! Estudam o uso da cor, a simbologia cultural de cada país, seu comportamento, suas matizes, saturação, luminosidade, roda cromática, profundidade, foco e diversos outros tópicos. A cor é captada pelo ser humano através da visão. E a visão é, dos cinco sentidos, o que mais rapidamente conduz a informação até ao cérebro. Dessa forma, os olhos são os sensores e o cérebro é o processador, provocando diversas reações em seus observadores, sejam positivas ou negativas. A tendência do artista, sua sensibilidade e memória cromática conservam a harmonia atingida entre as cores de seu trabalho, e da mesma forma recolhem a interpretação de quem a observa.

As cores influenciam o estado psicológico dos seres humanos de várias maneiras, e são mais ligadas à emoção. Pessoas se lembram mais facilmente das cores do que de formas. Estudos indicam que 1% dos consumidores decide sua compra pelo som ou pelo cheiro, sendo que 6% olham a textura e 93% observam o aspecto visual para comprar, sendo que entre 62% e 90% dessa observação se baseia somente nas cores.

Dando continuidade à paleta de cores, e lembrando que existe uma variedade de cores e tons incríveis, a parte boa é que você pode optar por várias paletas diferentes na sua casa inteira. A dica é seguir com nuances de que você gosta, que seguiram você ao longo da vida, e que podem estar presentes em objetos, roupas do seu dia a dia etc. Muitas vezes, só de você parar para pensar em tudo isso já construiu a sua paleta.

As cores são responsáveis não somente pelo aspecto visual da sua casa, como também podem ajudar a expressar emoções, sua personalidade e melhorar as boas energias de um ambiente. O gosto por algumas cores é questão de preferência pessoal, porém o uso delas na decoração pode ser feito com planejamento.

A cromoterapia acredita que as cores têm o poder de renovar um espaço e dar a ele a energia necessária para viver em harmonia. Vamos, então, aos significados de algumas delas.

Vermelho – intensa e estimulante, é indicada para afastar a depressão e o desânimo. É a cor das paixões, conquistas e sexualidade. Cuidado ao aplicá-la no quarto, pois pode tirar o sono, deixando a pessoa agitada.

Amarelo – muito viva, age sobre a mente, ajudando a raciocinar e mandar para longe os pensamentos obsessivos. É a cor da inteligência, do estudo e da criatividade.

Laranja – é restauradora e regeneradora, ajudando na recuperação emocional. É a cor da coragem, da reconstrução e da melhora.

Verde – é calmante e traz equilíbrio. O verde tem a capacidade de melhorar qualquer condição física negativa e energiza o corpo e a alma. É a única cor que não possui nenhuma contraindicação.

Azul – traz paciência e serenidade, ajudando a tranquilizar o corpo e a mente. É indicada nos casos de insônia e estresse, pois ajuda a melhorar a qualidade do sono.

Índigo – ajuda a equilibrar as energias e trabalha a intuição, além de contribuir para a limpeza e a purificação de ambientes.

Violeta ou lilás – é uma cor muito espiritual e mística, ajudando quem está desequilibrado emocionalmente e descrente. Quando usada em casa, ela limpa e isola os ambientes da má vibração.

Rosa – traz afeto, amor e união. Ajuda particularmente no equilíbrio dos relacionamentos pessoais e profissionais.

O círculo cromático é um instrumento facilitador para elaborar projetos, uma vez que nele temos acesso à composição de cores, composta por uma paleta de doze cores. Destas, três são as cores primárias, amarelo, azul e vermelho, que não podem ser obtidas através de outras; três são cores secundárias, formadas pela mistura das cores primárias – laranja, violeta e verde –; e seis cores terciárias, compostas pela mistura das cores secundárias.

 

A temperatura das cores

Você já deve ter ouvido falar das temperaturas quentes e frias. Elas determinam a capacidade que as cores têm de parecer quentes ou frias e de transmitir sentimentos ao observador. As cores quentes são psicologicamente dinâmicas e estimulantes como a luz do sol e o fogo. Sugerem vitalidade, alegria, excitação e movimento, e também parecem que avançam e se aproximam. Já as cores frias são calmantes, tranquilizantes, suaves e estáticas, como o gelo e a distância. Parecem que se retraem e se afastam.

As cores com as cores neutras

Escolhida a cor básica, fica fácil criar as diferentes versões de uma mesma família. Tudo o que você precisa é combinar a cor escolhida com uma cor neutra, seja para clareá-la ou escurecê-la, misturando cores e tintas até que você tenha umas ideias, as lojas de construção possuem cartelas imensas cheias de cores para você escolher ou criar.

As cores tríades

Seguindo a regra, os espaços entre elas, na roda das cores, devem ser todos iguais. As cores primárias (vermelho, azul e amarelo) são muito utilizadas em ambientes infantis, como quartos, playground e escolas.

As cores complementares

São as cores que se encontram em direções opostas na roda de cores. Normalmente uma cor atua como o tom dominante e a outra como um atenuante. Isso significa combinações como vermelho e verde, azul e laranja, ou amarelo e roxo. É indicado utilizá-las em pequenas doses, para chamar a atenção ou dar um efeito de contraste. As cores complementares são muito utilizadas junto com cores neutras.

A cores complementares decompostas

Se você gosta da ideia de um esquema de cores complementares, mas parece ser um pouco ousada demais, as cores complementares decompostas podem ser uma escolha mais segura. Primeiramente, você deve escolher o seu tom de base e aí, em vez de escolher a cor que está logo à frente na roda de cores, optar pelos dois tons que estão ao lado dessa cor oposta, o que proporciona uma sensação de maior equilíbrio ao ambiente.

As cores análogas

As cores análogas são as três cores em sequência de uma roda de cores. Significa escolher, por exemplo, o vermelho, o roxo e o azul ou o vermelho, o laranja e o amarelo. A ideia é utilizar bem a proporção, escolhendo uma cor dominante, outra que a complemente e a terceira mais vibrante.

 

Também é possível utilizá-las no esquema de cores monocromáticas, escolhendo o preto, o branco e o cinza no lugar dos tons mais chamativos.

A teoria, bem como a psicologia das cores são complexas e extensas. Portanto, para quem tiver interesse em se aprofundar no assunto, indico abaixo alguns livros:

“A Cor no Processo Criativo” – de Lilian Ried de Miller Barros (Editora Senac)

“A Psicologia das Cores. Como as Cores Afetam a Emoção e a Razão” – de Eva Heller (GG)

“O uso da Cor” – de Cris Peter (Marsupial)

“Furta Cores” – de Cristina Parga (Editora 7Letras)

“Da Cor à Cor Inexistente” – de Israel Pedrosa (Editora Senac)

“Interaction of Color” – de Josef Albers (também disponível para iPad).

E, já que o assunto é cores, encerro com imagens do Holi Festival, que é comemorado na Índia agora em Março, na chegada da primavera. No festival, que acabou ganhando o nome de “Festival das Cores”, é possível ver pessoas celebrando, cantando, dançando e jogando pós coloridos umas nas outras pelas ruas.

imagens: nbc news

Embora tenhamos muitas variáveis a considerar num ambiente e sua função, a intenção e o significado que se busca transmitir, acima de tudo, é um só: deixar a sua personalidade dentro do seu lar.

Abraço,

Karina

Karina Thomazella
Karina Thomazella
Karina Thomazella é formada em Design de Interiores, idealizou e produz o conteúdo do Blog Decor em Pauta, onde aborda temas ligados a decoração. Oferece consultoria de decoração express e participativa, como uma alternativa rápida e economicamente mais acessível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *