Já falamos aqui de como podemos abordar um edital cultural e estruturar o nosso projeto. Neste texto, vou tratar especificamente do orçamento, um item que costuma trazer muitas dúvidas.

O orçamento é uma parte importante do projeto cultural, tanto que na maioria dos editais públicos ele entra como critério de avaliação. A administração pública quer saber se você vai gerir com profissionalismo o dinheiro que ganhar para executar sua ideia.

Caso você o ganhe o edital, o orçamento vai ser um dos principais guias. Dessa forma, quanto mais preciso e claro ele for, mais chances de sucesso na execução do projeto você vai ter.

Eu recomendo que você primeiro estruture o projeto e crie uma planilha para colocar os itens que serão necessários. Depois de terminado, você começa a orçar. Sempre aparece algum item de última hora, por isso o ideal é deixar esse item por último.

Algumas coisas para prestar atenção:

1)      Solicite o orçamento por escrito

Vale a pena abrir uma conta de e-mail só para o projeto ou uma pasta no seu e-mail pessoal. Solicite os orçamentos necessários por e-mail e arquive todos. Caso você ganhe o edital, terá como negociar em cima do que foi passado para você. Se não ganhar, já terá o orçamento para um próximo projeto.

2)      Organize o orçamento em uma planilha

Vale também tabela no Word, caso você não seja expert no Excel. O importante aqui é o orçamento ficar claro e você mostrar para o seu patrocinador que houve pesquisa de preço e que você sabe o que está fazendo. Uma sugestão é organizar da seguinte forma:

planilha

Acima tem apenas um item, “divulgação”, mas você vai incluir também “pré-Produção”, “produção”, “administrativo”, e, claro, somar todos os itens. Eu costumo colocar o valor total de cada fase e no final a soma de todas.

3)    Dividindo o orçamento

Eu costumo dividir em pré-produção, produção, pós-produção, divulgação e administrativo. Para mim “pré-produção” é tudo que vem antes da estreia do projeto. Essa escolha é bem pessoal e é a forma que eu encontrei para preparar o esqueleto do projeto. “Produção” é o que vou usar durante o projeto, quando ele já estiver implementado. “Divulgação” é o que o nome diz: todos os recursos que eu apontei no meu plano de divulgação, os meios que eu vou utilizar para divulgar meu projeto. Por fim, “Administrativo” são os gastos com telefone, correio, taxa administrativa quando proposto via Cooperativa (fique atenta porque tem edital que expressamente veta essa rubrica). Pós-produção é qualquer gasto que eu vá ter na avaliação do projeto – confesso que, apesar de sempre prever a avaliação, nunca coloco um custo, já que os editais para os quais inscrevo meus projetos costumam ser públicos e, portanto, com verba limitada.

eat-1339061_1920

4 )    Cuidado com a “gordura”

Infelizmente estamos em um país no qual os preços são sempre inconstantes. Temos a temida inflação. Logo, o preço do banner que você orçou hoje, muito possivelmente não será o mesmo de amanhã.

Por isso, é importante colocar uma “gordurinha” no valor, ou seja, arredondar ou jogar o valor um pouco para cima. Mas cuidado: não aumente muito, senão o impacto no seu projeto será absurdo. Tenha bom senso e trabalhe sempre com valores reais. Uma alternativa é pegar mais de um orçamento e utilizar o valor maior ou uma média.

5)      Bom senso nas fases do projeto

Falando em bom senso, é importante ter equilíbrio no orçamento. Como? Depois de olhar o todo, veja como estão as fases. Você está gastando 50% do orçamento em divulgação e 10% na pré-produção? Tem algo estranho aí! Talvez você esteja prevendo uma remuneração muito ruim para a equipe que pretende contratar, por exemplo. É usual utilizar 20% do orçamento em divulgação. Observe como está a sua planilha e busque o equilíbrio.

Tenha o mesmo cuidado na hora de colocar a sua remuneração. Não pega bem você colocar um valor alto para você e algo muito aquém para a equipe. Busque sempre o equilíbrio.

azalea-1307644_1920

6)        Pisos e afins

Outra coisa que você pode buscar são os pisos da categoria que você pretende contratar. Vai contratar um ator para o espetáculo? Dê uma olhada em qual é o piso da categoria e baseie-se nesses valores. Mas fique atenta à data da publicação. Se for algo muito antigo e você não encontrar outra referência, faça uma pesquisa entre seus amigos, no Facebook ou no sindicato/cooperativa da categoria.

E seja justa também com você. Pesquise a média de ganho da sua função e não tenha medo de chegar ao valor; você é uma profissional e precisa ser também remunerada.

O que é muito comum é a gente precisar colocar um valor menor por conta do edital. Quer dizer, o edital disponibiliza 50 mil para um projeto que não cabe em 50 mil e a gente faz das tripas coração. Mesmo nessa hipótese, não deixe de colocar remuneração e, se por ventura decidir abrir mão ou ganhar muito aquém do praticado, pode ser bacana colocar uma observação educada na planilha. Uma produtora que eu admiro muito colocava que “parte desse cachê foi doado para possibilitar a realização deste projeto”. É uma forma de se posicionar – mas, claro, não é obrigatório.

7 )      Negocie sempre o valor bruto

Regra de ouro: o que você está colocando na planilha e negociando com sua equipe e prestadores de serviço é valor bruto, ou seja, antes de sofrer a incidência dos impostos.

8)       Nunca deixe para a última hora

Não deixe para fazer o orçamento no último momento. Pode parecer fácil, mas fechar conta de orçamento geralmente é uma dor de cabeça, principalmente com os valores estando cada vez menores. Se você tem um grupo que está te auxiliando, tome cuidado com a divisão de tarefas. O orçamento é um reflexo da justificativa e do cronograma. Mantenha tudo alinhado, assim a chance de sucesso é grande.

Priscilla Leal
Priscilla Leal
Sou atriz, advogada e gestora cultural. Reuni as três atividades neste espaço virtual, para criar um lugar de divulgação e compartilhamento de trabalho das mulheres artistas. Acredito na importância deste espaço para destacar essas mulheres e sua relação com a arte. Também acredito na profissionalização da(o) artista e da(o) produtor(a) cultural, por isso convidei mulheres de diversas áreas para escreverem para nós. Idealizei e executei o seminário “Mulheres Artistas na Ditadura”, na Caixa Cultural São Paulo, em 2014.

2 Comments

  1. Gloria Maria Silveira Rodrigues disse:

    Olá, gostaria de saber se em um orçamento onde irei fazer a maior parte dos trabalhos, mas na planilha que consta no projeto possui descrição de itens, como procedo para descrever estes trabalhos? Posso deixar algum em branco, por exemplo o que diz equipe? Desde já agradeço.

  2. Priscilla Leal disse:

    Oi Gloria, como vai? Não entendi ao certo a sua dúvida. No caso você exercerá diversas funções no projeto, é isso? Mesmo sendo você a executora, você deve descrever as funções. Utilize linguagem objetiva, descrevendo o que fará naquela função. Pode ser interessante você mencionar, em algum lugar do projeto, porque você não irá contratar outros profissionais e demonstrar que você consegue executar todas as tarefas. De qualquer forma, é sempre mais interessante ter uma equipe, pois na fase de execução o trabalho costuma ser intenso. beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *