Término do Amor Reestreia com Ingressos Gratuitos
junho 30, 2017
Colaboradora – Daniela Alvares Beskow
julho 27, 2017
Ver tudo

Sonya Clark (1967) é uma artista americana de ascendência caribenha. Seu trabalho se destaca pelo uso de diversos materiais, como cabelo natural e pentes, e aborda temas como gênero, raça e história.

Este texto foi publicado, em inglês, no blog do Museu Nacional de Mulheres Artistas de Washington D.C, no qual Sonya tem obras expostas. Foi escrito pela Adrienne L. Gayoso, educadora associada ao Museu.

Vamos conhecer a artista?

Cabelo é para você!

O fascínio de Clark pelo cabelo começou cedo. Ela muitas vezes usa cabelo humano em seus trabalhos têxteis, porque é um material carregado de significado. O cabelo pode ser o retrato de um indivíduo, um registro de sua ascendência ou uma arena através da qual a sociedade negocia raça.

Retratando o orgulho

A artista altera uma variedade de objetos familiares, como moedas e pentes, para criar retratos poderosos de figuras proeminentes da história americana. Suas representações celebram: Abraham Lincoln, como um líder adiantado dos direitos civis, Barack Obama, como o primeiro presidente negro e Madame C.J. Walker, como uma ativista dos direitos civis e primeira americana a tornar-se milionária por mérito próprio.

Sonya Clark, Afro Abe II, 2012; $5 dollar bill and hand-embroidered thread, 4 x 6 in.; National Museum of Women in the Arts, Gift of Heather and Tony Podesta Collection, Washington, DC; © Sonya Y.S. Clark

Dia do cabelo “ruim”

As construções sociais prevalecentes estigmatizaram o cabelo da mulher/homem negro como “ruim”. Clark aborda as avaliações de cabelos em obras como “NAP” (2011). Recuperando e abraçando uma palavra que tradicionalmente tem conotações negativas, ela põe em pauta suposições de que o cabelo sedoso, reto e liso é o único cabelo “bom” por aí.

Estilo do salão de beleza

A exposição “Follicular: The Hair Stories de Sonya Clark”, atualmente em exibição no Museu de Arte Taubman, localizado em Virgínia, EUA, inclui obras de Clark, bem como um projeto colaborativo. Os cabeleireiros da área contribuíram com penteados negros para o Projeto “Cabelo Craft de Clark”: “Os cabeleireiros são meus heróis”, diz Clark.

Desmantelar o racismo

Em “Unraveling and Unravelled” (2015), Clark meticulosamente desconstrói, fio por fio, uma bandeira confederada dos Estados Unidos. Para muitos americanos, esse símbolo representa o fanatismo e a opressão. Com três quartos da bandeira intacta Clark deixa o processo inacabado, sugerindo que o trabalho duro de derrotar o racismo não esta sendo feito.

Unraveling & Unraveled2015 Confederate flags, cotton

Priscilla Leal
Priscilla Leal
Sou atriz, advogada e gestora cultural. Reuni as três atividades neste espaço virtual, para criar um lugar de divulgação e compartilhamento de trabalho das mulheres artistas. Acredito na importância deste espaço para destacar essas mulheres e sua relação com a arte. Também acredito na profissionalização da(o) artista e da(o) produtor(a) cultural, por isso convidei mulheres de diversas áreas para escreverem para nós. Idealizei e executei o seminário “Mulheres Artistas na Ditadura”, na Caixa Cultural São Paulo, em 2014.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *